Sacola de Compras

* Calcule seu frete na página de finalização.

* Insira seu cupom de desconto na página de finalização.

06/10/2021

Como escolher seu tênis de corrida

Recentemente participei de uma live falando sobre isso, e é incrível como esse tema sempre se renova. Tem sempre coisa nova para falar sobre ele.

 

Bem, vamos falar aqui sobre seu tênis de corrida de asfalto. As características serão totalmente diferentes do trail. Esse é assunto para outra matéria no blog.

 

A primeira coisa que vamos fazer é conhecer o básico da estrutura do tênis:

 

Drop: É a diferença de altura da parte de trás do tênis (calcanhar) para parte da frente. Quando falarmos em 4,6,8 milímetros, estamos dizendo que ele é esta altura mais alto na parte de trás, como um pequeno salto.

 

Entresola: estrutura entre a parte emborrachada da sola até o final. Nessa parte entram tecnologias como EVA, isopor comprimido... Existem diversas tecnologias que se utilizam para deixar macio e responsivo. As mais conhecidas na época deste artigo são: fresh foam, hyperburst, zoom, boost... Ainda podem existir placas nesse "sanduíche", que podem ser placas rígidas, placa de nylon, placa de carbono…

 

Cabedal: estrutura de tecido do tênis e sempre vamos buscar tecnologia que seja respirável, que consiga ventilar bem e também expelir rapidamente a água (seja do suor ou até mesmo de um dia chuvoso).

 

CATEGORIAS:

Vamos dividir em 3 categorias básicas. Dentro delas podem querem colocar alguma subdivisão, mas este macro já vai te ajudar muito em uma definição:

 

Amortecimento: Aquele tênis com mais estrutura de entressola, solado... Ideal para quem está iniciando na corrida, para treinos longos, e confortáveis e para poupar a musculatura depois de um treino forte.

 

Intermediário: Como o nome já diz, aquele tênis que está no meio termo. Não tem tanto amortecimento mas também não é aquele tênis sem nada. Também é conhecido como tênis "coringa". Aquele que você usa em qualquer treino ou prova, dos 5 aos 42 km (para os mais experientes), dá pra fazer treinos fortes e também rodagens leves e longas.

 

Competição: É aquele tênis com o mínimo possível de amortecimento, espuma no cabedal... Aqui tenta-se preservar o mínimo de conforto mas a principal busca é por performance mesmo. Não é aconselhável que se treine todos os dias com um tênis de competição, tanto para poupar sua musculatura, como pela durabilidade deste. Geralmente por ter menos estrutura, costuma durar menos, e aí estamos falando de economia real mesmo. Hoje em dia, com o advento das placas de carbono e de novas tecnologias de materiais, os super tênis com placa já conseguem aliar muito amortecimento com leveza, mudando um pouco o padrão dos tênis de alta performance.

 

Falado sobre as divisões, estrutura de um tênis de corrida, tamanho é sempre uma grande preocupação.

 

Sempre vejo pessoas sofrendo com lesões como fascite plantar, lesões na panturrilha, cãibras, bolhas... Sendo grande parte disso ocasionado por tênis apertado.

 

Sim, acredite, esse é um mal que vai minando você com o tempo… Correr com os dedos apertados, sem espaço para seu pé "ser pé" na corrida, pode lhe trazer uma série de desconfortos e atrapalhar muito sua performance e vida útil na corrida.

 

Procure sempre utilizar um número a mais que seu tênis casual, e não se preocupe com aquela sobrinha na frente. Ela é necessária.

 

Utilize bem o sistema de amarração (há vídeos sobre isso em nosso Canal do YouTube), e também saiba que seu pé tende a inchar durante a corrida, devido a vasodilatação pelo esforço físico.

 

A partir daí, é entender qual vai se adaptar melhor ao seu estilo, ao que você busca, para que tipo de prova ou treinos, forma do tênis (pequena, média ou larga) e ir entendendo com qual seu pé mais se adapta.

 

Uma coisa é certa: entenda sempre que o tênis é o principal acessório de corrida e ele é o "pneu" do seu "carro". Ele é importante , mas nunca irá substituir seus treinos.

 

Bons treinos e até a próxima, runners!